segunda-feira, abril 09, 2007

Deus e a minha amiga Palmira

Deus e a minha amiga Palmira
Teresa Sá e Melo

Ontem ouvi na TV, canal 2, uma discussão engraçada sobre Deus, entre a minha amiga Palmira Silva e o José Miguel Pureza.

Falaram de Filosofia sem a nomear. Hoje é assim, o mundo e a natureza transformaram-se em ciência pura, mesmo quando se discutem ideias filosóficas.
O encanto da Palmira está na forma de dizer não com um sorriso. Ela tem uma forma bem feminina de se afirmar pelo não. Ela não é positivista, ela não crê no sagrado, ela não crê em Deus.
Ela não é crente em Deus, é ateísta. Ele é crente em Deus, é cristão.Ele tem fé e ela não.
Ele tem uma preocupação metafísica pelo sentido das coisas, ela tem uma preocupação científica pela razão crítica das coisas.
Ele tenta racionalizar os símbolos religiosos fundadores das civilizações, ela reduz o simbólico a uma história de fadas de que aliás gosta.

Somos ambas mulheres de ciência, vizinhas de bancada de laboratório. Acreditamos ambas na ciência, eu mais crítica que ela.
Eu acredito que há enigmas na natureza. E creio nos poetas. “Creio no incrível, nas coisas assombrosas, na invasão do mundo pelas rosas”, como cantava a romântica Natália Correia.
Ambas conhecemos a imparcialidade da ciência, dominada pelas crenças dos sujeitos teorizantes.
Sabemos que os escritos científicos de Galileu não foram apenas proíbidos naquele longínquo sec. XVI, mas ausentes das Universidades até ao sec. XVIII. Era e é um paradogma científico e não um paradígma Khuniano.
Sabemos que, em ciência, quem representa o saber não é quem o elabora.
Ela acredita nas potencialidades da razão crítica, eu acredito, como a Emily Dickinson, que o nosso cérebro é mais vasto que o céu. A nossa capacidade conceptual leva-nos aonde quisermos.
Eu sou crente ela é militantemente não crente.

4 Comentários:

At 12:13 da manhã, Blogger Andre ZC said...

Depois de ler este Post, fiquei curiosíssimo em ver e ouvir esse debate.
A minha visão enquadra-se mais na visão da Prof. Palmira F. da Silva.

Post muito bom continuem com este fantástico espaço.aguardo por mais actividade.

 
At 12:51 da manhã, Blogger Sailing said...

Textos muito interessantes

 
At 7:58 da tarde, Anonymous RUI Baptista said...

"Acabo de ler no blogue "Ópera Citadina", post da Prof.ª Teresa Sá e Melo, "colega de bancada de laboratório" da Prof.ª Palmira F. da Silva, intitulado "Deus e a minha amiga Palmira", a confirmar plenamente a ideia que dela tinha: "a de dizer não com um sorriso". Que bela imagem de tolerância de duas almas gémeas que se respeitam, embora com convicções diferentes, e mesmo antagónicas, acerca da Religião. E que belo exemplo a seguir num mundo em que não se discutem ideias, agridem-se as pessoas que não pensam como nós.

 
At 1:46 da tarde, Anonymous Rui Baptista said...

Rectificação: Por lapso, escrevi no início do meu comentário "Acabo de ler no blogue..." Ora o que eu queria ter escrito era, obviamente: "Acabo de ler o blogue..." Aqui fica a devida e necessária correcção, com o pedido de desculpa pelo erro involuntário.

 

Enviar um comentário

<< Home